Heritage Asset: Mapeamento do Perfil das Publicações Científicas sobre Bens Culturais nos Principais Periódicos Internacionais no Período de 2000 a 2017

  • Andreza Cristiane Silva de Lima Universidade Federal de Pernambuco - UFPE http://orcid.org/0000-0001-9833-1980
  • José Jonas Alves Correia Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
Palavras-chave: Bens patrimoniais, Bens culturais, Heritage asset.

Resumo

Este estudo buscou identificar os elementos que descrevem o perfil das publicações científicas sobre heritage asset nos principais periódicos internacionais, no período de 2000 a 2017. Realizou-se uma pesquisa mista, empregando o método bibliométrico, cujos artigos foram coletados da base de dados Scopus®, contemplando o termo “heritage asset”, e incluiu o período de 2000 a 2017. Os principais resultados mostram que o período em que foram mais frequentes as publicações sobre o assunto correspondeu ao ano de 2014 e 2016; dentre os países que mais publicaram sobre a temática estão a Austrália e Reino Unido, onde a regulamentação contábil sobre esses bens está mais avançada; no rol de universidades das filiações dos autores que compuseram o corpus estão a Hong Kong Polytechnic University e School of Hotel and Tourism Management, The Hong Kong Polytechnic University, no Hong Kong, país da Ásia, e a University of Waikato, localizada na Nova Zelandia; o periódico que mais recepcionou artigos os artigos foi o International Journal of Heritage Studies, cujo fator de impacto é de 1.076; os autores que mais publicaram foram Ho, P.S.Y. e Mckercher, B., e, aqueles mais proficientes na área foram Reeves K., Laing J., Frost W. e Wheeler F.

Biografia do Autor

Andreza Cristiane Silva de Lima, Universidade Federal de Pernambuco - UFPE

Mestra em Ciências Contábeis pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Referências

Almeida, A. P. (2016). Valoração de ícones artísticos do museu do Senado Federal do Brasil: Uma análise da relação entre valor econômico e cultural. Dissertação de mestrado, Universidade de Brasília. Brasília, DF, Brasil.

Barton, A. D. (2005). The conceptual arguments concerning accounting for public heritage assets: a note. Accounting, Auditing & Accountability Journal, 18(18), p. 434-440.

Borges, E. F.; Rodrigues, J. M.; Silva, M. C.; Borges, G. M. C. (2013) Heritage assets: tangíveis ou intangíveis? Pensar contábil, Rio de Janeiro, 15(56), p. 42-47.

Carvalho Júnior, L. C.; Marques, M. M.; Freire, F. S. (2016). Mensuração de ativos culturais: aplicação do método do custo de viagem e método de valoração contingente no Memorial Darcy Ribeiro. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, São Paulo, 10(2), p. 394-413.

Chueke, G. V.; Amatucci, M. (2015). O que é bibliometria? Uma introdução ao fórum. Revista Eletrônica de Negócios Internacionais, São Paulo, 10(2), p. 1-5.

Federal Accounting Standards Advisory Board. (2005, july). Statement of federal financial accounting standards 29: heritage assets and stewardship land. Washington, D.C.: FASAB, 2005. Recuperado em 24 de junho, 2018, de http://www.fasab.gov/pdffiles/sffas_29.pdf.

Ferenhof, H. A.; Fernandes, R. F. (2014). Passos para construção da Revisão Sistemática e Bibliometria. V. 3.02. Recuperado em 25 de setembro, 2016, de http://www.igci.com.br/artigos/passos_rsb.pdf.

Freire, A. P. F.; Leite Filho, P. A. M.; Cavalcante, P. R. N. (2015, julho). Heritage asset: uma proposta de mensuração com base em critérios encontrados na teoria econômica. Anais do XV Congresso USP Controladoria e Contabilidade, São Paulo, SP, Brasil, 15.

Hendriksen, E. S.; Van Breda, M. F. (2010) Teoria da contabilidade. Tradução de Antonio Zoratto Sanvicente. 5ª edição norte-americana. São Paulo: Atlas.

Hermanson, R. H.; Edwards, J. D.; Salmonson, R. F. (1987) Accounting principles. Business Publications. Editora Dow Jones-Irwin.

Hong Kong Polytechnic University. (2018). Recuperado em 20 de junho, 2018, de https://www.polyu.edu.hk/web/en/home/index.html.

Horngren, C. T.; Harrison, W. T.; Robinson Jr., M. A. (1996). Accounting. EUA, Prentice Hall, Third Edition.

IASB. Proyecto de Norma: Marco Conceptual para la Información Financiera: Fundamentos de las Conclusiones. Reuperado em 01 de outubro, 2016, de http://www.ifrs.org/Current-Projects/IASB-Projects/Conceptual Framework/Documents/May%202015/ES_Final%20Word_Basis_ED_Conceptual%20Framework_MAY%202015.pdf.

IASB. Proyecto de Norma: Marco Conceptual para la Información Financiera. Recuperado em 01 de outubro, 2016, de http://www.ifrs.org/Current-Projects/IASB-Projects/Conceptual-Framework/Documents/June%202015/ES_ED_Conceptual-Framework_MAY-2015.pdf.

International Journal of Heritage Studies. (2018). Recuperado em 20 de junho, 2018, de https://www.tandfonline.com/toc/rjhs20/current.
Iudícibus, S. (2006). Teoria da Contabilidade. São Paulo: Atlas.

Marques, M. M. (2012). Mensuração de ativos culturais: uma aplicação do método do custo de viagem em bens públicos culturais do Distrito Federal. Dissertação de mestrado. Universidade de Brasília, Brasília, Brasil.

Martins, O. S.; Araújo, A. M. H. B.; Lima, D. V.; Niyama, J. K. (2014). Uma discussão conceitual sobre o tratamento contábil dos heritage assets. ConTexto, Porto Alegre, 14(26), p. 66-75.

Neco, L. A.. N. (2013). Mensuração de bens culturais musealizados: uma posposição de estimação do valor justo das obras de Cicero Dias incorporado ao acervo no Museu do Estado de Pernambuco. Dissertação de mestrado. Universidade Federal de Pernambuco, Recife, Pernambuco, Brasil.

Ouda, H. A. G. (2014) Towards a practical accounting approah for heritage assets: Na alternative reporting model for the NPM practices. Journal of Finance and Accounting, 2(2), p. 19-33.

Pires et al. (2017). Heritage assets: desafios para a sua mensuração. Universitas Gestão e TI, Brasília, 1-2, p. 63-73.

Santana, E. C.; Barbosa, A. S. O.; Oliveira, L. G. (2015) Heritage assets no Brasil: um estudo de caso sobre a Ilha Fiscal. Pensar Contábil, Rio de Janeiro, v. 17, n. 64, p. 23-29, set./dez.

School of Hotel & Tourism Management. (2014). Recuperado em 20 de junho, 2018, de http://hotelschool.shtm.polyu.edu.hk/eng/index.jsp.

Secretaria do Tesouro Nacional – STN. Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público (MCASP), 2014. Recuperado em 01 de outubro, 2016, de http://www.tesouro.fazenda.gov.br/documents/10180/456785/CPU_MCASP+6%C2%AA%20edi%C3%A7%C3%A3o_Republ2/fa1ee713-2fd3-4f51-8182-a542ce123773

Silva et al. (2016). Estudo bibliométrico: orientações sobre sua aplicação. Revista Brasileira de Marketing, 5(2), p. 246-262.

Steppan, A. I. B.; Boente, D. R. (2014) Contabilidade para heritage assets. In: NIYAMA, Jorge Katsumi. Teoria Avançada da Contabilidade. Editora: Atlas. São Paulo.

Tavares, A. L.; Gonçalves, R. S.; Niyama, J. K. (2010) Heritage asset: uma análise comparativa das normas emanadas do FASB, ASB e CFC. Advances in Scientific and Applied Accounting, 3(1), p. 65-89.

Throsby, D. (2016). Investiment in urban heritage conservation in developing countries: Concepts, methods and data. City, Culture and Society, 7(2), p. 81-86.

The University of Waikato. (2018). Recuperado de https://www.waikato.ac.nz/.
Publicado
2019-08-29
Seção
Artigos Científicos