Desenvolvimento de um plano de gerenciamento de resíduos de serviços de saúde, para unidade de suporte de pacientes portadores do HIV

Autores

  • Fernanda Augusta de Oliveira Melo
  • Joice Andrade de Araújo
  • Luiza Machado Mothé

DOI:

https://doi.org/10.20401/rasi.2.1.73

Palavras-chave:

Resíduos de serviço de saúde, Gestão de resíduos, Plano de gerenciamento de resíduos

Resumo

O presente estudo aborda o gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde (RSS) de uma Associação, situada na cidade de Volta Redonda/RJ. Seu objetivo é desenvolver um Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde (PGRSS) para a unidade em questão. Trata-se de um estudo realizado através de observações referentes ao gerenciamento do RSS, realizadas em todas as dependências do estabelecimento, além do questionamento aos vários funcionários. Verificou-se que a unidade estudada gera mensalmente 181,388 kg, sendo aproximadamente 79% destes os contaminados, e que os resíduos gerados no local são classificados como do grupo A (resíduos infectantes), grupo B (químicos), grupo D (resíduo comum) e grupo E (perfurocortantes). A partir da necessidade da unidade foram propostas novas medidas de manuseio do resíduo, baseadas na RDC nº 306 da ANVISA, visando maior eficácia na segregação e, consequentemente, menor geração de resíduos contaminados. Através do estudo pôde-se concluir que a aplicação do PGRSS é de grande importância para a proteção da sociedade além de minimizar o impacto gerado pelo descarte do RSS no meio ambiente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Agência Nacional De Vigilância Sanitária - ANVISA. (2004). RDC nº 306: Dispõe sobre o Regulamento Técnico para o gerenciamento de resíduos de serviços de saúde. Brasil.

Associação Brasileira De Empresas De Limpeza Pública E Resíduosespeciais - ABRELPE. (2012). Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil. São Paulo.

Associação Brasileira De Normas Técnicas - ABNT. (2004). NBR 10.004: Resíduos sólidos – Classificação. Rio de Janeiro.

______. (1993). NBR 12.807: Resíduos de Serviços de Saúde – Terminologia. Rio de Janeiro.

______. (1993). NBR 12.808:Resíduos de Serviços de Saúde – Classificação. Rio de Janeiro.

______. (1993). NBR 12.810: Coleta de Resíduos de Serviços de Saúde – Procedimento. Rio de Janeiro.

British Broadcasting Corporation (Reino Unido). (2014). Infecções por HIV aumentam no Brasil:no mundo, 54% têm vírus sem saber. Disponível em: <http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/07/140716_aids_relatorio_rb>. Acesso em: 28out. 2014.

BRASIL. Constituição (2010). Lei nº 12305, de 2 de agosto de 2010. Politica Nacional dos Resíduos Sólidos. Brasília.
Conselho Nacional Do Meio Ambiente - Conama. (2005). Resolução Conama nº 358: Dispõe sobre o tratamento e a disposição final dos resíduos dos serviços de saúde e dá outras providências. Brasil.
Departamento De Dst, Aids E Hepatites Virais. AIDS No Brasil. Disponível em: <http://www.aids.gov.br/pagina/aids-no-brasil>. Acesso em: 28 out. 2014.

Fiocruz. Banco de Imagem. Disponível em: <http://www.fiocruz.br/biosseguranca/Bis/StartBIS.htm>. Acesso em: 29 set. 2014.

Ministério Da Saúde - MS & Agência Nacional De Vigilância Sanitária - ANVISA.(2006). Manual de Gerenciamento de Resíduos de Serviço de Saúde. Brasília: ANVISA.

Silva, C. E. R. (1999). O Processo de Trabalho da Limpeza e Coleta Interna do Lixo Hospitalar na Emergência do Hospital Municipal Paulino Werneck. Dissertação de Mestrado - Escola Nacional de Saúde Pública, FIOCRUZ, Rio de Janeiro. Biblioteca virtual ENSP-FIOCRUZ. Disponível em: <http://portalteses.icict.fiocruz.br>. Acesso em: 29 set. 2014.

Silva, M. F. (2004). Resíduos de Serviços de Saúde: Gerenciamento no Centro Cirúrgico, Central de Material e Centro de Recuperação Anestésica de Um Hospital do Interior Paulista. Ribeirão Preto.

Publicado

2016-10-29

Edição

Seção

Artigos Científicos