Representação Social da Liderança: análise em uma Organização da Administração Pública Federal

Autores

  • Marcelo Moutinho Abdalla
  • Carine Fernandes Botelho
  • Patrícia Nunes Brito
  • Yury Vasconcellos Silva

DOI:

https://doi.org/10.20401/rasi.2.1.90

Palavras-chave:

Liderança, Representação Social, Gestão Pública

Resumo

Com a evolução dos modelos de Gestão Pública, as questões sociais ganharam nova dimensão nas políticas. Devido à necessidade de se desenvolver potenciais humanos nas diversas atividades, a liderança tornou-se uma importante ferramenta para o planejamento de ações e consecução de diversos objetivos, tornando-se relevante e fundamental apreender como este conceito faz parte e integra a vida dos agentes públicos. Dessa maneira, o presente trabalho foi desenvolvido com o objetivo de se alcançar uma compreensão da Liderança em uma Organização da Administração Pública Federal, por meio da utilização da teoria da Representação Social, realizada junto a uma amostra pertencente a uma Unidade Militar que integra a Administração Pública Federal. Os participantes foram integrantes pertencentes aos diversos quadros da mesma e houve aplicação de entrevistas não estruturadas, fazendo-se uso da teoria da Associação Livre de Palavras, na aplicação das entrevistas, e da Análise de Conteúdo, na interpretação dos dados. Por meio desse levantamento, objetivou-se uma verdadeira compreensão da Representação Social da Liderança junto a esses agentes. Com os resultados obtidos, foi possível concluir pela necessidade da utilização da liderança nas relações intersociais na Unidade estudada e sua consequente falha na Gestão Pública, algo relevante e significativo para o planejamento e gestão na Organização pesquisada, podendo contribuir para modificações fundamentais na estrutura da cultura organizacional, além de apresentar a necessidade dessa ferramenta na Administração Pública como um todo, tanto nas questões atinentes à gestão, quanto no desenvolvimento desse campo científico de conhecimento.
PALAVRAS-CHAVE: Liderança, Representação Social, Gestão Pública.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Almeida, A. M. O. (2009). Abordagem Societal das Representações Sociais. Sociedade e Estado, Brasília, 24 (3), 713-737.

Andrade, J.A., Muniz, I.S.A, & Silva, C. A. da. (2010). Inovação e Representações Sociais de Dirigentes das Empresas de um Pólo Tecnológico. Contextus Revista Contemporânea de Economia e Gestão, Fortaleza, 8(2), 73-80.

Andrade, M. M. M. B. (2013). A Liderança em Contextos Organizacionais Competitivos, e de Elevada Complexidade: Estudo de Caso na Indústria Farmacêutica. Exedra Journal. Coimbra: Portugal, 8, 120-138.

Araújo, A. R. & Zuppano, T. S. (2016). Potenciais Desafios para Líderes Contratados em Empresas Familiares de Pequeno Porte. Revista da Micro e Pequena Empresa, Campo Limpo Paulista, (10)1, 29-43.

Arengheri, M. (2014). O Estilo de Liderança do Gestor Escolar e a Motivação dos Professores. Revista Diálogos Interdisciplinares, São Paulo, Vol. 3, n. 1. ISSN 2317-3793.

Athaydes, A., Becker, G. H., Cogo, R. S., Furlanetto, M. & Nassar, P. (2013) Estudo Transcultural sobre Liderança em Relações Públicas e Gestão da Comunicação: análise quantitativa dos temas de maior importância para os brasileiros. Revista Internacional de Relaciones Públicas, Málaga, 6 (3), 5-28.

Azevedo. D., Walber, A.L.S., Schujmann, A. & Garay, A.B.S. (2012). Representações sociais de RH: um Estudo Exploratório com Alunos de Graduação. Revista Organizações e Sociedade, Salvador, 19(60), 51-66.

Bardin, L. (1977). Análise de Conteúdo. Tradução Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. São Paulo: Martins Fontes, 1977. (Tradução do original em língua francesa L’analyse de Contenu. Paris: P.U.F., 1977).

Benevides, V. L. A. (2010). Os Estilos de Liderança e as Principais Táticas de Influência Utilizadas pelos Líderes Brasileiros. (Dissertação de Mestrado). Fundação Getúlio Vargas, Mestrado Executivo em Gestão Empresarial, Rio de Janeiro.

Bergamini, C. W. (1994). Liderança: A Administração do Sentido. (3a ed). São Paulo: Atlas.

Brant, P. S. (2012). A Relação entre Líderes e Membros (LMX), Estilos de Liderança e seus Impactos na Satisfação no Trabalho. (Dissertação de Mestrado). Universidade FUMEC/ FACE, Mestrado em Administração, Belo Horizonte.

Bresser-Pereira, L. C. (2001). Do estado patrimonial ao gerencial. In: Pinheiro, P. S.; Wilheim, J.; Sachs, I. (Org.). In: Brasil: um século de transformações. São Paulo: Companhia das Letras, 222-259.

Carbone, P. P. (2000). Cultura Organizacional do Setor Público Brasileiro: Desenvolvendo uma Metodologia de Gerenciamento da Cultura. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, 34 (2), 133-144.

Carvalho, I. S. C. & Souza, M. V. M. de. (2012). A Representação Social de Alunos de Escolas da Rede Particular de Ensino Acerca do Papel do Psicólogo Escolar. Trabalhos em Linguística Aplicada-Unicamp, Campinas, (51)1, 235-244.

Ceneviva, R. & Farah, M. F. S. (2012). Avaliação, Informação e Responsabilização no Setor Público. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, 46 (4), 993-1016.

Costa, F. L & Costa, E. M. L. (2016). Nova história da administração pública brasileira: pressupostos teóricos e fontes alternativas. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, 50(2), 215-236.

Cunha, C. V. M. & Silva, M. J. M. C. A. (2010). Os Desafios da Liderança no Mundo Corporativo. Anuário da Produção Acadêmica Docente. Valinhos-SP: Faculdade Anhanguera de Taubaté, 4 (7), 67-88.

Drumond, A. M., Silveira, S. F. R. & Silva, E. A. (2014). Predominância ou Coexistência? Modelos de Administração Pública Brasileira na Política Nacional de Habitação. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, 48(1), 3-25.

Fadul, E. M. C., Silva, M. A. M. & Silva, L. P. (2012). Ensaiando Interpretações e Estratégias para o Campo da Administração Pública no Brasil. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, 46 (6), 1437-1458.

Ferreira, A. C., Santos, E. R. dos & Rosso, A. J. (2016). Representação Social da Indisciplina Escolar. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, (32) 1, 199-208.

Fonsêca, M. A. (2011). Bem-Estar Laboral e o Comprometimento Organizacional. (Monografia de Bacharelado em Administração). Universidade de Brasília, Brasília.

Fontanella, B. J. B., Ricas, J. & Turato, E. R. (2008). Amostragem por Saturação em Pesquisas Qualitativas em Saúde: Contribuições Teóricas. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, 24 (1), 17-27.

Freitas, A. F., Freitas, A. F. & Ferreira, M. A. M. (2016). Gestão Social Como Projeto Político e Prática Discursiva. Cadernos EBAPE.BR - FGV, Rio de Janeiro, (14) 2, 281-292.

Freitas, M. I. A. A. (2013). As Tecnologias de Informação e da Comunicação como Suporte à Gestão Através da Liderança e da Comunicação: Estudo com Professores de um Agrupamento de Escolas da Terra Fria Transmontana. (Dissertação de Mestrado). Instituto Politécnico de Bragança, Mestrado em Ciências da Educação, Bragança-SP.

Gil, A. C. (2007). Como Elaborar Projetos de Pesquisa. (4a ed). São Paulo: Atlas.

Gonçalves, L. C. C. (2014). Estilo de Liderança e Papel de Coordenador do CAP na Motivação da sua Equipa. (Dissertação de Mestrado). Universidade da Madeira, Mestrado em Ciências da Educação, Funchal: Portugal.

Janczura, G. A. (2005). Contexto e Normas para Associação para Palavras: A Redução para o Campo Semântico. Paideia, Ribeirão Preto, 15 (32), 417-425.

Jodelet, D. (2001). Representações Sociais: Um Domínio em Expansão. In: Jodelet, D. (Org.). As Representações Sociais (pp. 17-44). Rio de Janeiro: UERJ; 2001.

Jodelet, D. (2009). O Movimento de Retorno ao Sujeito e a Abordagem das Representações Sociais. Sociedade e Estado, 24(3), 679-712.

Lemos, S. F. C., Costa, S. G. & Lima, R. C. P. (2013). Representações Sociais: Aplicabilidade nos Estudos sobre a Educação de Jovens e Adultos. Educação, Sociedade e Culturas, Rio de Janeiro, 39, 43-61.

Martins, B. V., Marques, J. R., Vieira, L. J. M. & Garay, A. B. S. (2010) Avaliação de Desempenho Individual no Setor Público Brasileiro: Análise da Produção Acadêmica de 2000 a 2009. In: IV Encontro de Administração Pública e Governança da ANPAD. Anais IV da EnAPG, Vitória-ES.

Merten, T. (1992). O Teste de Associação de Palavras na Psicologia e Psiquiatria: História, Método e Resultados. Lisboa: Portugal: Instituto Superior de Psicologia Aplicada - Análise Psicológica, 10(4), 531-541.

Moraes, R. (1999). Análise de conteúdo. Revista Educação, Porto Alegre, 22 (37), 7-32.

Moscovici, S. (2012). Representações Sociais: Investigações em Psicologia Social. Tradução Pedrinho Arcides Guareschi. (9a ed). Petrópolis, RJ: Vozes.

Natividade, J. C., & Camargo, B. V. (2012). Elementos da Representação Social da AIDS Agrupados em Dimensões: Uma Técnica Estrutural. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 28(2), 193-195.

Niemeyer, J. R. L. & Cavazotte, F. S. C. N. (2016). Ethical Leadership, Leader-Follower Relationship and Performance: A Study in a Telecommunications. Revista de Administração Mackenzie-RAM, São Paulo, 17(2), 67-92.

Oliveira, F. B., Sant’anna, A. S. & Vaz, S. L. (2010). Liderança no Contexto da Nova Administração Pública: Uma Análise sob a Perspectiva de Gestores Públicos de Minas Gerais e Rio de Janeiro. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, 44 (6), 1453-1475.

Oliveira, J. C. & Chamarelli, J. (2011). Liderança Situacional: Eficácia da Liderança do Gestor de Recursos Humanos. Revista Cognitio, Lins-SP.

Oliveira, V. C. S. & Pereira, J. R. (2014). Sociedade, Estado e Administração Pública: Análise da Configuração Institucional dos Conselhos Gestores do Município de Lavras (MG). Cadernos Gestão Pública e Cidadania, São Paulo, (19)64, 19-40.

Paula, A. P. P. de (2005). Administração Pública Brasileira Entre o Gerencialismo e a Gestão Social. RAE-Revista de Administração de Empresas, (45)1, 36-49.

Pfeffer, J. (2015). Leadership BS: Fixing Workplaces and Careers One Truth at a Time. HarperCollins.

Pope, C & Mays, N. (2009). Pesquisa Qualitativa na Atenção à Saúde. (3a ed). Porto Alegre: Artmed.

Resolução nº 196, de 10 de outubro de 1996, versão 2012. (2012). Diretrizes e Normas Regulamentadoras de Pesquisas Envolvendo Seres Humanos. Ministério da Saúde-Conselho Nacional de Saúde, Brasília, DF: CNS. Consultado em 20 de março de 2014, através de http://conselho.saude.gov.br/web_comissoes/conep/arquivos/resolucoes/ 23_out_ versao_final_196_ENCEP2012.pdf.
Resolução nº 466, de 12 de outubro de 2012. (2012). Dispõe sobre as Diretrizes e Normas Regulamentadoras de Pesquisas Envolvendo Seres Humanos. Ministério da Saúde-Conselho Nacional de Saúde, Brasília: CNS. Consultado em 20 de março de 2014, através de http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf.

Rowe, W. G. (2002). Liderança Estratégica e Criação de Valor. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, 42(1), 7-19.

Santana, G. A. S., Reis, A. O., Reis, M. C. T. & Tavares, B. (2013). A Representação Social na Interpretação de um Sonho de Cidade Coletivamente Construído. APGS-Administração Pública e Gestão Social, Viçosa, (5)1, 41-55.

Schette, F. R. (2005). O Papel da Psicologia no Desenvolvimento de Líderes Organizacionais Segundo Psicólogos e Líderes. (Tese de Doutorado). Pontifícia Universidade Católica, Programa de Pós-Graduação em Psicologia - Centro de Ciências da Vida, Campinas-SP.

Silva, E. L. & Menezes, E. M. (2005). Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. (4a ed). Florianópolis: UFSC, 138 p.

Tenório, F. G. (1998). Gestão Social: Uma Perspectiva Conceitual. Revista de Administração Pública – RAP / EBAPE / FGV, (32)5, 7-23.

Tenório, F. G. (2005). (Re)visitando o Conceito de Gestão Social. In: Lianza, S. & Addor, F. Tecnologia e Desenvolvimento Social e Solidário. Porto Alegre, UFRGS, 151-171.

Vieira, L. J. M. V. & Costa, S. G. (2013). Liderança no Judiciário: O Reconhecimento de Magistrados como Líderes. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, 47 (4), 927-948.

Vils, L. & Rodrigues, G. V. (2016). Leadership B.S.- Jefrey Pfeffer e a Indústria da Liderança. Revista Ibero-Americana de Estratégia-RIAE, São Paulo, (15)1, 147-154.

Publicado

2016-10-29

Edição

Seção

Artigos Científicos

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##