Análise do Uso de Instrumentos de Controladoria nos Empreendimentos Comerciais e Industriais, de São João Del-Rei – Minas Gerais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20401/rasi.2.1.77

Palavras-chave:

Controladoria, Empreendimentos, São João del-Rei

Resumo

Este trabalho teve por objetivo analisar como os empreendimentos comerciais e industriais, fundados a partir de janeiro de 2010 vêm empregando instrumentos de controladoria no processo de tomada de decisão, desde a fase pré-operacional, de modo a verificar como tais instrumentos estão relacionados com o aumento das expectativas de vida e com a saúde financeira dessas empresas. Utilizou-se da pesquisa bibliográfica, documental e de campo. Os principais resultados dos trabalhos foram: a) a maioria das empresas na fase operacional não esteve preocupada com o uso de instrumentos de controladoria para o planejamento e controle de suas atividades; b) na fase operacional, há um maior uso de instrumentos ligados à função gerencial, que surgiu da necessidade de gerar informações para a tomada de decisões, no entanto, está limitado ao controle de estoques, de pagamentos e recebimento e de fluxo de caixa; c) há dificuldade em usar os instrumentos das demais funções - contábil, custos, tributária e proteção ao patrimônio – pela dificuldade em extrair as informações dos demonstrativos e dos documentos gerados pelos escritórios de contabilidade; d) as funções contábeis e tributárias têm sido desempenhadas pelos escritórios de contabilidade, com a finalidade apenas de cumprir as exigências da legislação. Conclui-se que, apesar de reconhecerem a importância da controladoria, suas ferramentas têm sido negligenciadas por empresários que, por falta de conhecimento, continuam tomando decisões com base em intuições. Estruturar um bom sistema de informação com base nas ferramentas da Controladoria é importante para garantir a sustentabilidade econômica e financeira desses empreendimentos ao longo do tempo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Antonik, L. R. (2004). A administração financeira das pequenas e médias empresas. Revista FAE Business, (8), 35-38.

Baron, R., & Shane, S. (2007). Entrepreneurship: A process perspective. Nelson Education.

Bedê, M. A; Altoé, L. B. M. et al. (2011). Coleção Estudos e Pesquisas: Taxa de Sobrevivência das Empresas no Brasil. Brasília: SEBRAE.

Borinelli, M. L. (2006). Estrutura conceitual básica de controladoria: sistematização à luz da teoria e da práxis. (Doctoral dissertation, Universidade de São Paulo).

Bosma, N., Wennekers, S., & Amorós, J. E. (2012). Global entrepreneurship monitor 2011 extended report: Entrepreneurs and entrepreneurial employees across the globe. London: Global Entrepreneurship Research Association (GERA).

BRASIL. Lei Complementar n. 123, de 14 de dez 2006. Institui o Estatuto Nacional da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, altera dispositivos das Leis 8.212 e 8.213, ambas de 24 de julho de 1991, da Consolidação das Leis do Trabalho _ CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, da Lei nº 10.189, de 14 de fevereiro de 2001, da Lei Complementar n° 63, de 11 de janeiro de 1990; e revogada as Leis nº 9.317, de 5 de dezembro de 1996, e 19.841, de 5 de outubro de 1999. Diário Oficial da União 31 de jan. 2009.

Dolabela, F. (1999). Oficina do empreendedor: a metodologia que ajuda a transformar conhecimento em riqueza. São Paulo: Cultura.

GEM Global Entrepreneurship Monitor Empreendedorismo no Brasil (GEM 2002). Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade no Paraná, Relatório Executivo, Curitiba.

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. Editora Atlas SA.

Greco, S. M. S. S. (2010). Empreendedorismo no Brasil: GEM-Global Entrepreneurship Monitor. Curitiba: IBQP.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. (2012). Cadastro Central de Empresas 2010. Rio de Janeiro: IBGE.

Koliver, O. (2005). A contabilidade e a controladoria, tema atual e de alta relevância para a profissão contábil. Porto Alegre: CRC/RS.

McClelland, D. C. (1967). Achieving society (Vol. 92051). Simon and Schuster.

Morante, A. S.; Jorge, F. T. (2008). Controladoria: análise financeira, planejamento e controle orçamentário. São Paulo: Atlas, 164 p.

Mosimann, C. P. & Fisch, S. (1999). Controladoria: seu papel na administração de empresas.

Say, J. B.; Biddle, C. C. (1851). A treatise on political economy. J. Grigg.

Schumpeter, J. A. (2013). Capitalism, socialism and democracy. Routledge.

Schumpeter, J. A. (1934). The theory of economic development: An inquiry into profits, capital, credit, interest, and the business cycle. Transaction Publishers.

SEBRAE–Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo. (2008). 10 Anos de Monitoramento da Sobrevivência e Mortalidade de Empresas. São Paulo: Sebrae-SP.

Smith, A. (1776). An inquiry into the nature and causes of the wealth of nations, 2 vols, London. Reprinted in 1976. RH Campbell, AS Skinner and WB Todd (eds), 2 vols.

Souza Neto, B. (2008). Contribuição e elementos para um metamodelo empreendedor brasileiro: o empreendedorismo de necessidade do" virador". Blucher Acadêmico.

Publicado

2016-10-29

Edição

Seção

Artigos Científicos

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##